Emprego

Há muitos fatos observáveis que podem ser considerados “termômetros” do mercado. Você pode saber se o mercado está quente e prever como será o futuro próximo medindo, por exemplo, a proporção de negócios fechados em relação ao número de contatos que sua empresa recebe. Ou pode comparar suas vendas com as estimativas prévias.

Para nós há uma métrica muito interessante do nosso mercado: a quantidade de pessoas que nos procuram pedindo indicação de bons profissionais para uma vaga aberta em suas empresas.

Nos últimos dois meses, por exemplo, recebemos muitos e-mails de gente procurando profissionais hábeis do padrões web, capazes de construir e manter bons sites tableless. Veja, por exemplo, este trecho de um e-mail que recebemos há alguns dias:

Opa, tudo bom Diego? Tudo bom Elcio?

Seguinte, aqui na agência, estamos a procura de um profissional de webstandards já em um nível avançado, que trabalhe bem com nomemclaturas, semântica, etc..

Podem me ajudar? Existe algum lugar específico para postar vagas? Ou vocês têm alguém para indicar?

E aqui vem o dilema que motivou este post: não podemos indicar nenhum aluno. Por uma série de razões, mas a principal é que a maioria de nossos alunos tem seu curso pago pela empresa do que trabalham.

É claro que não posso indicá-los. Coloque-se no lugar do empregador, você vai entender facilmente.

Por outro lado, eu sei como é procurar emprego, e não gostaria de deixar passar essa chance de ajudar alguém nessa situação, principalmente os bons profissionais.

Eu já tenho alguma idéia do que podemos fazer a esse respeito, mas não quero contar ainda para não influênciar vocês. Gostaria de ouvir sugestões: o que podemos fazer para ajudar quem procura empregados que saibam padrões a encontrar quem procura empregos para mexer com padrões?

5 comentários sobre “Emprego”

  1. Questão complicada hein?! Talvez você poderia criar algo como um mural de recados. Poderia servir como um ponto de encontro de quem procura e quem quer ser achado. Sua empresa continuaria como mediador, porém eliminando sua participação na indicação direta. Você ficaria como o juiz de um jogo de basquete que inicia a partida jogando a bola para cima. Quem pular mais alto é o dono da bola. 🙂 Quanto ao lado do empresário, bom sinceramente, fica com a prata da casa quem valoriza, isso sempre foi assim, se alguém perder o investimento no funcionário não tem nada haver com você. É como diz o “velho deitado”; quem paga banana fica com os macaquinhos. Quem ainda não pode pagar o melhor salário tem que conversar e dar perspectiva de crescimento. Afinal empresa também é para isso, crescimento coletivo. Um abraço do Beto.

  2. Pelo menos na faculdade que eu estudo tem um esquema que funciona bem… tanto no mural da sala de (~~sei lá, java~~) quanto na área restrita do site para alunos de (~~programação~~) aparecem vagas das empresas que precisam de funcionários da área. Qualquer um pode ver, pode até falar para o filho da amiga da vizinha, ai vai de quem ler o CV ver se tem Visie lá ou não, mas no geral o povo é ‘fominha’ e não espalha para ninguém 🙂

Deixe uma resposta

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *